Relatório aponta revestimento como causa do incêndio na Torre Grenfell de Londres

O revestimento do edifício de habitação social Grenfell Tower de Londres nunca havia sido submetido a testes de combate a incêndio e não respeitava as normas de construção civil, de acordo com um relatório sobre o incêndio que deixou 72 mortos em junho de 2017.


A comissão pública que investiga o incidente divulgou nesta segunda-feira as suas conclusões sobre as causas do incêndio depois de um primeiro mês de audiências dedicadas a outros aspectos.


O revestimento e outras falhas na construção fizeram com que a ordem dada pelos bombeiros aos moradores de permanecerem dentro de casa fosse contraproducente, aponta a autora do relatório, a engenheira Barbara Lane.


Lane culpou o material de revestimento por causar "numerosos incêndios internos" e uma enorme quantidade de fumaça no prédio de 24 andares.


"Concluo que todo o sistema não pôde resistir adequadamente à propagação do fogo", escreveu Lane, estimando que a ordem de evacuação deveria ter sido dada logo no início, ainda que admitindo a dificuldade para tal.


Nas próximas audiências serão apresentados cinco novos relatórios de especialistas detalhando como o incêndio começou, por que se espalhou tão rapidamente e a eficiência das medidas de incêndio do prédio localizado no rico bairro de Kensington.


Também será apresentado um relatório da empresa Harley Facades, que instalou o revestimento exterior que, suspeita-se, contribuiu para a rápida disseminação do fogo.


O incêndio começou em uma geladeira defeituosa e devastou o arranha-céu em poucas horas.


Grenfell United, a organização que reúne as famílias das vítimas e sobreviventes, estimou que esta segunda-feira "começa o longo caminho da justiça".


Fonte: AFP

Páginas

Notícias

Quem somos

Comunidade

Anuncie

© 2016 - 2020  Web Rádio Monte Sinai Gospel