Petra Costa diz que “onda evangélica” contra negros e gays impulsionou Bolsonaro

Diretora de “Democracia em Vertigem” deu entrevista recheada de fake news à jornalista americana.

Petra Costa. (Foto: Reprodução / Youtube)


Em entrevista à jornalista Christiane Amanpour, da PBS, a cineasta e ativista política Petra Costa fez graves denúncias contra os evangélicos brasileiros, dizendo que eles elegeram o presidente Jair Bolsonaro por serem contra negros, LGBTs e feministas.


Diretora do filme “Democracia em Vertigem”, que narra o impeachment de Dilma Rousseff como ‘golpe’, Petra declarou que “enormes ondas de evangélicos que são contra os direitos dos gays, feminismo e ‘pessoas de cor'” foram responsáveis pela eleição de Bolsonaro.


E reforçou sua visão de que evangélicos são racistas ao dizer que, depois da vitória de Bolsonaro, a taxa de homicídios cometidos por policiais aumentou mais de 20%.


“É um genocídio dos brasileiros negros”, disse ela que concorre ao Oscar.


A fala da cineasta deve ser contestada, pois a maioria dos evangélicos brasileiros é composta por mulheres e negros. A pesquisa mais recente, do Datafolha, fala em 59% da população evangélica se declarando como pretos e pardos.


Ela também falou que fake news diziam que os candidatos Fernando Haddad, e sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB) faziam rituais satanistas.


“De repente, o PT começou a receber mensagens do tipo: ‘Isso é verdade?’ E as perguntas eram é verdade que a vice-presidente do Haddad está fazendo rituais satânicos? É verdade que ela tem um bebê demônio? Coisas desse nível de surrealismo e que muitos brasileiros acreditaram”.


FONTE: Gospel Prime

Páginas

Notícias

Quem somos

Comunidade

Anuncie

© 2016 - 2020  Web Rádio Monte Sinai Gospel