Pastor sequestrado pelo Boko Haram é morto

Líder cristão sequestrado pelo grupo islâmico no início de janeiro é morto após não entrarem em acordo quanto ao valor do resgate


O Boko Haram executou o pastor Lawan Andimi na última segunda-feira, na Nigéria. Ele era diretor sênior da Associação Cristã da Nigéria (CAN, da sigla em inglês) da Área Governamental Local de Michika e secretário do Conselho da Igreja Distrital de Brethren, no estado de Adamawa. Como noticiado, o pastor havia sido capturado pelo grupo extremista islâmico no dia 3 de janeiro.


A notícia da execução foi dada pelo jornalista Ahmed Salkida e confirmada pela CAN. Aparentemente, ele foi decapitado. Um líder da Associação, o bispo Dami Mamza, disse aos repórteres que as negociações de resgate com os terroristas estiveram em curso, mas ultimamente haviam se rompido. O grupo rejeitou o acordo de mais de 100 mil dólares e pediu por mais de 500 mil dólares.


“Eles ligaram para a esposa do pastor na última semana, informando que ele seria morto no sábado, mas de alguma forma esperaram até segunda”, disse Mamza. O presidente da CAN, Samson Ayokunle, um dia após a morte, descreveu o ocorrido como terrível, lamentável e uma vergonha para o governo federal. Em uma declaração, ele lamentou a inabilidade do governo de proteger os cidadãos da Nigéria.


O diretor Legal e de Assuntos Públicos da CAN, o evangelista Kwamkur Vondip, disse: “Recordamos que, infelizmente, o falecido pastor Lawan Andimi, enquanto cativo, fez um apelo à liderança da igreja e ao governo federal por seu resgate. A igreja fez tudo o que estava ao seu alcance para assegurar a liberdade em segurança do pastor, mas isso não foi possível porque não tinha poder militar para fazer algo efetivo”. O pastor Lawan deixou esposa e nove filhos.

Páginas

Notícias

Quem somos

Comunidade

Anuncie

© 2016 - 2020  Web Rádio Monte Sinai Gospel