Menino cristão é resgatado após sobreviver a ritual de sacrifício, em Uganda

Atualizado: Mar 12

Vítima da ação de um feiticeiro que o esfaqueou, o menino Robert Mukwaya sofreu graves lesões na coluna vertebral em 2014 e pensou-se que nunca mais voltaria a andar.


Robert com a equipe médica após a cirrurgia, nos EUA. (Foto: Reprodução/UGCN)


Ele estava descansando na cozinha de sua avó, no distrito de Mukono, em Uganda, quando o feiticeiro o arrastou para fora e o esfaqueou no pescoço, deixando o menino com uma lesão na coluna e os pés permanentemente voltados para baixo.



Robert ficou paralisado e fez diversas cirurgias para restabelecer seus movimentos.


A cirurgia mais recente foi feita em 20 de fevereiro de 2020 no Shriners Hospitals for Children, em Salt Lake City, EUA, pode mudar sua história.


O Kyampisi Childcare Ministries, uma organização de caridade cristã fundada pelo pastor Peter Sewakiryanga, divulgou um comunicado dizendo que a cirurgia do jovem foi "um sucesso".


Ele teve uma "grande operação no quadril, pés e mãos", entre outras áreas.


O comunicado pedia "mais orações por cura”. “Sua recuperação pós-operação é longa, mas os médicos estão confiantes de que [Robert] irá melhorar.”


Os Ministérios de Assistência à Criança de Kyampisi ajudam as crianças sobreviventes de sacrifícios e suas famílias a reconstruirem suas vidas e superar o trauma. A organização ajudou mais de dez vítimas desde a sua criação em 2009.



Em uma atualização compartilhada online, Anne Mitchell, que interagiu com Robert nos EUA antes de sua cirurgia na quinta-feira, disse o seguinte:


“Infelizmente, Robert foi cortado no pescoço por um feiticeiro. Ele ficou com muitos problemas, especialmente andando e usando os braços. Ele ficou com um tetraplégico parcial. Esperamos que sua cirurgia permita que ele ande e se mova muito melhor. Ele precisará de uma reabilitação considerável, mas Robert é um garoto maravilhoso e resiliente. Orando pelo melhor resultado possível.”


Desde 2014, Robert passou por uma série de operações, todas destinadas a vê-lo andar novamente. Em 2017, ele fez uma cirurgia no John hunter Hospital, na Austrália.



Ataque em casa


"Naquele dia, eu o deixei sozinho em casa e fui à igreja para orar; quando voltei, encontrei-o deitado em um tapete em uma poça de sangue", disse a avó de Robert, Yowani Nakiwala, à Transterra Media. "Seu pescoço estava quase caindo, os médicos o atenderam e o vestiram com um colar em volta do pescoço."



“A condição em que os encontramos é bastante triste, aqueles que morrem, encontramos seus corpos completamente separado - eles cortam a cabeça e drenam o sangue”, conta o pastor Peter Sewakiryanga à Transterra Media.


Sewakiryanga disse que os feiticeiros podem cortar o estômago e retirar os órgãos de suas vítimas. “São imagens chocantes. Aqueles que sobrevivem precisam de atenção médica enorme”, afirma.


“As crianças são sacrifícios porque existe uma crença crescente de que, quando você sacrifica uma criança, obtém riqueza, obtém proteção, obtém cura e essa crença que é uma mentira se espalhou por todo o país e não houve uma reação do governo ou as pessoas envolvidas seja capaz de educar as massas de que você não precisa matar uma criança para obter riqueza ou que não precisa matar uma criança para obter proteção”, explica o pastor.


“A riqueza vem do trabalho duro, a proteção vem de Deus e, como as pessoas são desesperadamente pobres e precisam desesperadamente de questões de riqueza, há um feiticeiro na comunidade que afirma trazer cura, trazer alegria, felicidade e bênçãos. As pessoas procuram os feiticeiros e recebem partes do corpo das crianças [para o ritual]”, conta o Peter Sewakiryanga.



FONTE: GUIAME/UG CHRISTIAN NEWS

Páginas

Notícias

Quem somos

Comunidade

Anuncie

© 2016 - 2020  Web Rádio Monte Sinai Gospel